sábado, 24 de dezembro de 2011

Time


Mais um ano que se passa, mais um ano se passou.
Já não tenho a mesma idade, apodreço na cidade.
Mudei a letra. Achei mais propícia. Mas vivo te
enganando. Este texto não é sobre minha situação
periclitante. Nem sobre o rock feito pelo Ira! nos
anos 80 ou 90. O texto nada mais é do que sobre
o passar do tempo. E ele passa. Quando você está
tendo momentos agradáveis, o tempo voa. Quando
os momentos terríveis, a sensação é que ele se arrasta.
Mas tecnicamente, os dois passam exatamete iguais.
Não há um relógio para bons momentos e um para
maus. O tempo corre igual. Ou se você preferir, voa.
As suas férias de um mês no Caribe foram tão boas,
passaram em um estalar de dedos. Sua lua-de-mel.
Seus primeiros anos no novo emprego. Voaram.
Mas os quase dois anos em que me encontro avariado,
também passaram rápido. Em um lampejar,
em uma piscadela. E aí que chego a esta conclusão:
O tempo é um só, a vida é uma só. Não tem rápido
ou devagar, tem não deixar o tempo se esvair nos
seus dedos à toa. Não desperdice, não perca tempo
achando que deveria. Ou poderia. Faça. Aja.
Exatamente agora.
       

Um comentário:

// Bayer disse...

E que nesse ano que vai começar, todo mundo se lembre disso e coloque em prática.

Feliz 2012 Claudio!

Abrs,
Bayer