quarta-feira, 21 de março de 2012

Cores


O sábado nasceu lindo. Céu de almirante, nem uma nuvem
solitária a procurar companhia. Acordo bem cedo. Passeio
frugal com o Topek. Xixi e cocô. Ambos fazem os dois.
Ducha rápida, jeans e camiseta. Nao, não vou mais fazer um
treino infindável para maratonas, Não corro maratonas, corro
para manter a forma. Também ando de moto. Não corro para
manter a forma. Sou tiozinho e responsável. Engulo um suco,
coloco o casaco de couro e saio, sem antes dar um último
afago no bichinho. Vou para o sub-solo onde ela me espera.
Pronta e perfeita. Linda. Tinindo. Sento, solto algumas
palavras de carinho, coloco as luvas e a ligo. Imediatamente
ela retribui as palavras de carinho. Em alto e bom som.
Alguns diriam altíssimo som. Saio e sinto aquele friozinho
típico de uma manhã de outono. Mas com o casaco e as
luvas de couro de veado (o couro) estou protegido.
Encontro meu amigo Eduardo Di Lascio, também tiozinho.
Veja bem, para mim este impropério é um elogio. Pontual,
consciente, confiável, comportado. Este é o tiozinho, o amigo
perfeito para se andar de moto. Ou conversar sobre a vida
(acrescente "inteligente" à definição). E lá vamos nós.
Marginal Pinheiros, Tietê, estrada dos Bandeirantes.
Curvas, retas, eu e minha máquina nos tonando uma coisa só.
Difícil dizer onde acaba o piloto, onde começa a motocicleta.
Ah, a tal liberdade é isto?
Não, Liberdade é um bairro de São Paulo.
Isto é prazer e prazer é o que colore a vida.
O sábado nasceu lindo. Céu de almirante, nem uma nuvem
solitária a procurar companhia. Acordo bem tarde.
Não passeio com o Topek nem ligo minha Harley-Davidson.
O máximo de simbiose entre homem e máquina sou eu
e minha cadeira-de-rodas. A ducha não é tão rápida nem
o suco. Saio com o Arnaldo Nana Dratwa e meus sobrinhos.
Rio com eles e como algum prato delicioso em um restaurante
delicioso. Depois disto, um cineminha e depois umas visitas,
amor e mais carinho. Isto é liberdade? Não, são novos prazeres
que a vida me apresentava e agora vejo com novos olhos.
Podem ainda não ser tão coloridos, mas aos poucos
acrescento novos tons.
      

6 comentários:

Adriana Baltar disse...

Gostei!

Eduardo Di Lascio disse...

Tiozinho...? Tiozinho......? Falando sério, acho que foi a coisa mais bonita que eu já lí na vida. Valeu por um passeio, ah se valeu.

Daniel Goltcher disse...

Adorei o detalhe do couro de veado (o couro), hehe! abs

Camata disse...

Boa!

Pedrão disse...

Muito bom de ler e refletir.
Valeu.
Pedrão

Fábio disse...

Buenas "tiozinho", acrescentaria, além das cores, música! No meu caso (e acredito que no teu também) um bom e velho Rock'n'Roll ou até mesmo algo de mais peso. Não toco nada, mas a simples função de ouvir me ajuda a melhorar o humor e seguir em frente.
Keep strong!