terça-feira, 30 de agosto de 2011

Bolsa Gucci Família


Dilmão, este é pra tu merrmão. Esqueça ministros corruptos,
danças de cadeiras, bolsa família. Quer combater a miséria,
erradicar a pobreza de uma vez? Facinho. Tem que falar com
os escritores de novela da Globo. Sim, estou um noveleiro e
não é o menor grau de separação entre os personagens que
me estarrece. Não é o pai e o filho namorarem a mesma mulher.
É a completa sobra de dim-dim dos personagens. Explico.
O dono de um restaurante tem uma casa nababesca, um carro
nababesco, uma mulher e não sei quantos empregados nababescos.
Com um restaurante? C'mon. A faz-tudo mora em uma bela
e grande casa simples em um belo bairro pertinho do mar. Ah, Dilma,
esqueça Avenidas Brasis, ônibus lotados, horas em pé em um calor
infernal em um trânsito não menos pior. E o irmão do tal restauranter
ter uma mega-loja de motos sem motos dentro. Ah, mas tem um 
globo da morte para intrépidos anões. É bom lembrar que ele não 
vai nunca, namora anoréxicas modelos russas e mora em um 
apartamento bem em frente ao apartamento da senhora taxista 
em um bairro também nobre. Sim, muito normal ver senhoras 
dirigindo táxis. E os donos de quiosques, as pessoas entrando 
umas nos escritórios das outras, os mega-carros, 
mega-apartamentos e etcetera etcetera. Não sei se
este é um texto memorável, mas taí uma bela plataforma política
anti-pobreza. Presidente, só trocar uma idéia com o Boninho.
      

4 comentários:

Hadys disse...

A referência bibliográfica é terrível, mas lá vai:

"Pobre gosta de luxo, quem gosta de miséria é intelectual!"

Joãozinho trinta

only 2 wheels disse...

Globo, novela??? é pura depressão, ainda prefiro o Chaves....

Ol'Jones disse...

Os comentários do Hadys sempre são valiosíssimos!
E também sou fã do Chaves!

caroline disse...

As novelas de hoje estão um lixo! mil vezes Chaves! rssss